3 Maratonas em apenas 1 Velocidade!!!!

#1
O regresso à Magia do Single Speed…

Foi no ano passado por esta altura que tive o prazer de me aventurar nos trilhos com uma bicicleta Single Speed completamente rigida, um verdadeiro teste às minhas capacidades fisicas e técnicas com as limitações já descritas. Na altura esperavam-se muitas dificuldades e muita dureza, contudo a experiencia foi de veras impressionante e muito positiva, um 12º Lugar na maratona de Idanha - Trilhos da Raia e um 2º Lugar na Invernal de BTT da Cidade da Guarda. O bichinho ficou cá a remoer e com vontade de um dia voltar a repetir outra aventura deste género…

Este ano cá estamos para a repetir, lancei um novo desafio a mim mesmo e decidi voltar com este tipo de bicicleta, aproveitando para apresentar uma nova montagem neste segmento de single speed rigido com um novissimo quadro Trek 8500 de 2010 com um peso de 8,380Gr!!! A configuração da pedaleira para já escolhida é de 32×16 ou seja a mudança dupla à frente e 6ª a trás mas possivelmente irá sofrer algumas alterações consoante a maratona a realizar.

O desafio a que me proponho é realizar 3 maratonas, Maratona da Bezelga, Maratona de Pinhel e Maratona do Invernal – Guarda ou seja +/- 210 Kms com 4464mtr de acumulado e realizar as melhores prestações possiveis. A agravante é que nos ultimos 5 mêses fiz apenas 800kms e a forma está muito em baixo para o que vai ser exigido pela máquina e pela dureza dos percursos. O 1º teste já está marcado para o passeio das Courelas en Trancoso.

Noticia in: http://alexmg.wordpress.com/2009/11/06/3-maratonas-em-apenas-1-velocidade/


 
#4
Como tinha referido no fim de semana passado estive presente no passeio das Courelas em Trancoso a fim de testar a máquina e o atleta...

Bem a experiência foi dura eheheh, 1º tive problemas com os esticador que estava a fazer pouca tensão e a corrente saltava do carreto de trás, tive que parar 20 min logo no inicio do passeio para resolver o problema, aos 12 kms comecei a recuperação demoniaca... e foi sempre a fundo, a bicicleta pedia mais e mais, mas ainda não existem pernas para ela, era impressionante a resposta da máquina quer pela forqueta rigida que passava toda a força exercida no guiador para a roda, quer pela leveza da bike que respondia de imediato às acelarações, mas as pernas não aguentavam o ritmo até ao cimo das subidas que eram bem longas e inclinadas, em algumas delas tive necessidade de desmontar para esticar as pernas, noutras a cadência era tão baixa que era necessário equilibrar-me para conseguir pedalar.

Agora seguem-se uns treinos a meio da semana, e a 1ª maratona, Beselga.

Boas pedaladas
Alexandre Guilhoto
 
#5
alexmg said:
era impressionante a resposta da máquina quer pela forqueta rígida que passava toda a força exercida no guiador para a roda, quer pela leveza da bike que respondia de imediato às acelerações
São estas as sensações que quem nunca experimentou uma SS nunca vai perceber.
:wink:
 

FDura

Utilizador Banido
#6
Sensações que só uma SS podem proporcionar :yeah:

Eu por agora só distancias soft´s e com mudanças :mrsock: mas voltará a altura que poderei usufruir em pleno da minha SS novamente :zezus:

Força e boa sorte nos teus objectivos :wink:
 
#7
Esqueci-me de referir que o quadro tem um comportamento unico que me ajuda muito à condução. A caixa de direcção é integrada e nota-se na rigidez e precisão a curvar, o novo eixo BB91 que este quadro possui tambem ajuda em muito à acelaração e à rigidez brutal da pedalada. Normalmente um quado tem 73mm de caixa do pedaleiro e as caixas ficam por fora, o novo 8500 têm 91mm e a caixa do pedaleiro encaixa à pressão e ficam dentro do quadro, daí o aumento brutal da rigidez.

No final do passeio a bicicleta adquiriu um novo barulho, estava de veras preocupado pois tinha medo de ter partido o eixo!! mas no final dei conta que o parafuso da pedaleira que era em aluminio simplesmente desapareceu!!!! Uma vez que o barulho surgiu de um momento para o outro suponho que o parafuso se desintegrou, logo vou ter que meter os parafusos da pedaleira normais em aço para resistirem a força exercida em apenas 1 prato.

Boas pedaladas
 
#9
alexmg said:
No final do passeio a bicicleta adquiriu um novo barulho, estava de veras preocupado pois tinha medo de ter partido o eixo!! mas no final dei conta que o parafuso da pedaleira que era em aluminio simplesmente desapareceu!!!! Uma vez que o barulho surgiu de um momento para o outro suponho que o parafuso se desintegrou, logo vou ter que meter os parafusos da pedaleira normais em aço para resistirem a força exercida em apenas 1 prato.
Já passei por aí. :) Quando se anda a sério parafusos de alumínio na pedaleira e SS não ligam de modo nenhum.

Quanto aos comentários ao teu quadro, é bom que tenha essa rigidez mas acho que o que falta mesmo aí era um quadro que não precisasse de esticador. Andar sem esticador é do dia para a noite em termos de sensação de fluidez da corrente e transmissão.

Boa sorte para as maratonas. :wink:
 
#10
Realmente para andar bem de SS um quadro especifico faz toda a diferença.
Também me parece que ficavas melhor servido com um guiador mais largo, de modo a optimizar a força de braços nas subidas.
:wink:
 
#11
Alexmg, de facto um guiador mais largo e com elevação proporciornar-te-ia outras sensações de pilotagem e mais facilidade de fazer determinadas subidas onde o efeito alavanca conseguido ajuda muito.

Eu também estarei na Beselga com a minha SS, uma Inbred 29er... com o mesmo problema que tu tens... não tenho pernas :(

Infelizmente pouco tenho andado, e por isso lá estarei para fazer os 65km da maratona, quero é andar :D

Já fiz as 2 primeiras edições desta maratona, sempre de SS (na altura uma Kona Kilauea de 98 adaptado com esticador de corrente) e tem percursos muito giros... e duros :wink:, como a malta gosta. Parece é que vamos ter chuva... o que para a nossa transmissão não vai ser problema se houver muita lama.

Se me vires por lá nas minhas rodas grandes diz olá :wink:
 
#12
Alex, grande aventura essa do SS. De qualquer forma quantos dos anónimos aqui do fórum já fazem maratonas e ultra maratonas em SS obtendo bons resultados. E com montagens bem menos sofistificadas.

De qualquer maneira, boa sorte.
 
#13
Não me importava de maneira nenhuma de adquirir um quadro especifico com carris para eleminar o esticador, infelizmente não é possivel pois não à orçamento para tudo.
Este quadro e o resto do material vai ser o que vou utilizar normalmente para correr para o ano, no final da invernal da Guarda vou montar a bike normal.

Quanto ao guiador vou testar, mas está-me a parecer muito boa ideia.

Boas pedaladas
 
#14
jppina said:
Eu também estarei na Beselga com a minha SS, uma Inbred 29er... com o mesmo problema que tu tens... não tenho pernas :(
Quer-me parecer que esse não é o problema dele.... :mrgreen: O homem anda que se farta pá. Pode estar em baixo de forma por falta de treinos mas de certo que vai conseguir recuperar depressa.
 
#18
Quanto ao guiador já foi testado e definitivamente não foi aprovado, é uma posição muito esquesita ao qual me é muito comlicado de adaptar, pois já são alguns anos a andar com guiador recto estreitinho. Andar com os braços abertos e de peito feito para o vento não é para mim. Voltei à posição original avanço invertido e guiador recto com apenas 56mm :D

Realmente nota-se o efeito de alavanca a funcionar nas subidas, mas se não tivermos confortávais a pedalar de que adianta!! Contudo obrigado pela dica.

Objectivo defenido para a Beselga... com uma boa gestão de esforço penso que serei capaz de ficar no Top 10. Vamos ver como corre

Boas pedaladas
 
#19
Maratona da Beselga... DESISTÊNCIA - Objectivo falhado

Pois é infelismente não me foi possivel concluir a maratona da Beselga, devido a problemas técnicos, 2 parafusos seguidos da pedaleira desapareceram e os outros 2 desapertaram-se, e posso garantir que os parafusos estavam mesmo bem apertados, espero que não volte a acontecer pois agora os parafusos foram colados com cola de rosca.

Quanto à maratona arranquei bem, até aos 11kms mantive-me com a frente da corrida sem forçar, depois decidi descolar para meter um ritmo mais calmo pois aos 15kms estava a 1ª subida a sério que iria durar até aos 20kms. Tudo estava a correr bem e conforme o planeado aos 30 kms seguia em 3º lugar sem saber, pois houve pessoal que se perdeu. Passado um pouco já tinha companhia pois estava a gerir a corrida para as pernas não berrarem na ultima parte, mas infelizmente aos 35kms o prato pedaleiro voltou a ceder e desta vez a impossibilitar-me de continuar... só dei mesmo conta quando a corrente saltou da pedaleira.
Apesar de não existir práticamente treino, as pernas estavam a reagir bem pois estavam a ser poupadas e as sensações estavam a ser muito boas, logo leva-me a pensar que na pior das hipóteses conseguiria um 5º/6º lugar, que estaria dentro dos objectivos traçados.

Segue-se Pinhel onde o Objectivo vai ser o TOP 5, ou então se o fisico permitir chegar mesmo a vitória. ;) vamos ver...

Boas pedaladas